'Tiraram minha filha da forma mais bruta e cruel', diz mãe que perdeu

Tue, 21 Sep 2021 09:52:38 -0300 / 0 Comentários

'Tiraram minha filha da forma mais bruta e cruel', diz mãe que perdeu a guarda

'O desejo dele era que eu abortasse', afirma Genilda sobre o pai da menina

Genilda Silva Pieczkoski, moradora de Santa Lúcia, falou com a Catve na manhã desta terça-feira (21), na 15ᵃ SDP de Cascavel.

O pai da filha dela pediu a guarda da criança, porém, ela alega que a menina está sob os cuidados da tia, pois ele é caminhoneiro. "Eu estava trabalhando e minha mãe me ligou, contando que havia policiais e o Conselho Tutelar na casa. Quando eu cheguei estava o meu ex-namorado, tios dele e havia um papel que designava guarda provisória ao pai, pois eu apresentava riscos a minha filha", disse a mãe. O pai da menina apresentou mensagens de aplicativo entre os dois sobre a gravidez "mas o que ele não falou é que essas mensagens foram enviadas quando eu estava grávida em momento de abandono, porque ele não queria ser pai", concluiu.

Ela ainda ressaltou que "ele nunca me ajudou com dinheiro ou remédios, nunca me acompanhou em consulta, ele queria que eu abortasse a criança".

Genilda afirmou à equipe de reportagem que "o desejo dele era que eu abortasse a criança", quando a filha nasceu, a mãe ficou internada durante 12 dias, "entre a vida e a morte", como descreveu, ela teve hemorragia, derrame pleural, o rim começou a parar e também sofreu de tive infecção hospitalar.

O advogado Matheus Onias David, falou à Catve que "Genilda é uma mãe que durante toda a gestação esteve sozinha, sem amparo nenhum do ex-namorado. Ele fez diversas capturas de imagem das mensagens de aplicativo que foram enviadas no calor do momento quando ela estava na gestação de seis meses, o pai ajuizou uma ação de guarda para que fosse retirada da filha dela, pois apresentava ameaças e riscos".

As mensagens são decorrentes de uma discussão, atualmente a criança esta com 1 ano e 5 meses.

"O judiciário sem ouvir a mãe, mensagens que não tem data e sequencia lógica, o judiciário concedeu a medida liminar e retirou da guarda da mãe a filha", salientou o advogado.